Anuidades
Você adicionou a sua lista de compras. O que deseja fazer agora?
Continuar Comprando! Fechar Compra!

Dia Nacional de Combate ao Câncer

Dia Nacional de Combate ao Câncer

Criado por meio da Portaria do Ministério da Saúde GM nº 707, de dezembro de 1988, o Dia Nacional de Combate ao Câncer, comemorado em 27 de novembro, tem como objetivo ampliar o conhecimento da população brasileira sobre o câncer, principalmente sobre a sua prevenção.

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células, que invadem tecidos e órgãos.

Dividindo-se rapidamente, estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores, que podem espalhar-se para outras regiões do corpo.

Os diferentes tipos de câncer correspondem aos vários tipos de células do corpo. Quando começam em tecidos epiteliais, como pele ou mucosas, são denominados carcinomas. Se o ponto de partida são os tecidos conjuntivos, como osso, músculo ou cartilagem, são chamados sarcomas.

O câncer surge a partir de uma mutação genética, ou seja, de uma alteração no DNA da célula, que passa a receber instruções erradas para as suas atividades. As alterações podem ocorrer em genes especiais, denominados proto-oncogenes, que a princípio são inativos em células normais. Quando ativados, os proto-oncogenes tornam-se oncogenes, responsáveis por transformar as células normais em células cancerosas.

A prevenção do câncer engloba ações realizadas para reduzir os riscos de ter a doença.

O objetivo da prevenção primária é impedir que o câncer se desenvolva. Isso inclui a adoção de um modo de vida saudável e evitar a exposição a substâncias causadoras de câncer.
O objetivo da prevenção secundária do câncer é detectar e tratar doenças pré-malignas (por exemplo, lesão causada pelo vírus HPV ou pólipos nas paredes do intestino) ou cânceres assintomáticos iniciais.

O termo "risco" é usado para definir a chance de uma pessoa sadia, exposta a determinados fatores, ambientais ou hereditários, desenvolver uma doença. Os fatores associados ao aumento do risco de se desenvolver uma doença são chamados fatores de risco.

O mesmo fator pode ser de risco para várias doenças – o tabagismo e a obesidade, por exemplo, são fatores de risco para diversos cânceres, além de doenças cardiovasculares e respiratórias.

Vários fatores de risco podem estar envolvidos na origem de uma mesma doença. Estudos mostram, por exemplo, a associação entre álcool, tabaco, e o câncer da cavidade oral.

Nas doenças crônicas, como o câncer, as primeiras manifestações podem surgir após muitos anos de uma exposição única (radiações ionizantes, por exemplo) ou contínua (no caso da radiação solar ou tabagismo) aos fatores de risco. A exposição solar prolongada sem proteção adequada durante a infância pode ser uma das causas do câncer de pele no adulto.

Os fatores de risco podem ser encontrados no ambiente físico, herdados ou resultado de hábitos ou costumes próprios de um determinado ambiente social e cultural.

O câncer nos olhos acontece quando células malignas presentes nos tecidos oculares passam a se proliferar rapidamente e em larga escala, resultando no tumor no olho. 

Porém, isso não representa a maior parte dos casos.

Geralmente, principalmente em adultos, o câncer nos olhos surge como consequência de outros tipos de câncer presentes no corpo, como câncer de pulmão, câncer de mama, câncer de próstata.

O que acontece é que as células malígnas dos tumores presentes em outras partes do corpo começam a se espalhar pelo organismo por meio da corrente sanguínea, chegando até o globo ocular.

Com isso, desenvolve-se também o tumor na região, que pode atingir estruturas oculares como córnea, retina, nervo óptico, pálpebra, conjuntiva, úvea e até mesmo o canal lacrimal.

Quando o câncer já está mais avançado, alguns sintomas característicos começam a aparecer, como:

  • Dor na região (principalmente quando o tumor começa a crescer para o lado de fora do globo ocular);
  • Manchas pretas ou escuras na íris;
  • Manchas na visão (quando o paciente enxerga pontos ou flashes de luz, por exemplo);
  • Sombras na visão;
  • Problemas de visão e dificuldades para enxergar;
  • Perda de visão total;
  • Perda de parte do campo visual;
  • Mudança na forma ou tamanho da pupila.

Em crianças, existem maneiras práticas e simples de identificar a presença do tumor no olho. Basta observar fotografias tiradas com flash.

Quando há a presença do câncer nos olhos, é comum aparecer uma mancha branca na íris da criança na foto, ao invés da mancha vermelha, que é o considerado normal.

Para manter-se saudável, faça exames regularmente.

Converse com seu optometrista sobre a sua visão.

 

Deixe um comentário